Sertões: Glauber Fontoura/Joselito Junior enfrentam Maratona, a partir de segunda (2), de Brasília

By 1 de novembro de 2020Rally dos Sertões

Dupla FD Rally Team completou a 1ª etapa em 4º na Pró Brasil. Nesta segunda-feira seis duplas de Regularidade se juntam à equipe, entre eles, Sandra Dias/Igor Quirrenbach. Largaada será de Brasília para cinco dias de disputa e 3 mil km de roteiro

Pausa neste domingo (1º) para a caravana do Sertões, em um dia de descanso para os competidores e manutenção das máquinas, na Bolha 1, em Brasília, para encarar a etapa 2 – Maratona que começa nesta segunda-feira com destino a Goiás (Bolha 2). No sábado, após largar em primeiro na Pró Brasil, Glauber Fontoura (Barueri/SP) e Joselito Junior (Maceio/AL) #311 completaram os 205 quilômetros de trechos cronometrados com o 4º melhor tempo da categoria. Durante a Especial alguns imprevistos mas foi um pneu fez a dupla da FD Rally Team perder preciosos minutos e posições no grid..

“Foi uma Especial curta e não estava difícil, mas haviam muitas pegadinhas. Cometi uns erros, porém é uma questão de entrosamento entre piloto e navegador e Glauber e eu estamos entrando em sincronia. Mas nosso maior problema foi o pneu furado”, explica Joselito. O navegador conhece Fontoura há muitos anos, já competiu na equipe, mas essa é primeira vez deles como dupla. “Coisas de rali, agora vamos correr atrás do prejuízo porque o Sertões só está começado”, completou o alagoano com sete participações e dois títulos em categorias.

Nesta 28ª edição, a etapa Maratona – que não permite apoio mecânico – já começa no segundo dia e termina ao final da Especial 3, na terça-feira. “Sempre procuro fazer um rali cauteloso e tento pensar em uma estratégia do meio para frente. Mas agora com a etapa Maratona já nos primeiros dias vai ser complicado. Então será dia a dia traçando estratégia e durante o rali ver o que vamos fazer”, ressalta Fontoura, que pilota uma Mitsubishi L200 Triton Sport R. “Estou com navegador novo. O Joselito é meu amigo há muitos anos e estamos tentando trazer a nossa sintonia para dentro do carro e buscar o pódio com êxito”, completa. O piloto já foi Campeão da Pró Brasil, no Sertões 2017, com Minae Miyauti, tem mais três títulos na Super Production e foi Campeão no ano passado na Production T2.

Regularidade larga nesta segunda (2) de Brasília

Em novo formato nesta edição, a prova de Regularidade não teve largada do mesmo local dos demais competidores, no Velocittá. Mas agora, as 20 duplas se juntam na Bolha 1, em Brasília, para cinco etapas até Barreirinhas (MA), num total de 3 mil quilômetros de roteiro. Na FD Rally Team, a dupla da categoria Master, Sandra Dias (Barueri/SP) e Igor Quirrenbach (Castro/PR), se prepara para largada desta segunda-feira.

Completando cinco participações no Sertões, Sandra destaca a importância de ter um bom navegador. “Estar na Master exige muito mais técnica e treino, não poderia ser diferente a escolha do meu parceiro que tem toda a qualificação necessária. A estratégia desse ano é nos dedicar para fazermos uma boa prova e chegar em Barreirinhas”, destaca Sandra, bicampeã do Sertões (2016 e 2017 no Regularidade/Turismo), e comanda com o marido Glauber Fontoura uma das maiores equipes do grid.

“A disputa promete ser acirrada. Os concorrentes são de peso mas estamos preparados. É muito emocionante estar aqui, vale cada décimo de segundo”, destaca o navegador de Castro (PR), Quirrenbach.

As demais duplas da equipe no Regularidade são: Ernesto Kabashima/Maidy Chaim (Master), yJosé Guerra/Matheus Leite (Master), Marcos Santos/Lobsang Max (Graduado), Ronaldo Silva/Ícaro Macedo (Graduado) e Antônio Ribeiro/José Arantes (Turismo).

Para acompanhar as notícias da equipe acesse da página no Facebook: @equipefdrallyteam e Instagram: @equipefdrallyteam. A FD Rally Team, conta com patrocínio da FD Stands & Displays e apoio da SFI Chips, Miltfort, Mitsubishi Motors e Pro Tune.

Programação 28º Sertões (30/10 a 7/11)

1/11/2020 – domingo
Dia de deslocamento inicial e manutenção
Deslocamento até Bolha 1: 580 km
 
2/11/2020 – segunda-feira
2ª etapa – Bolha 1 / DF a Bolha 2 / GO – 1ª parte Maratona “Renê Melo”
Deslocamento inicial: 159 km
Trecho especial: 353 km
Deslocamento final: 0 km
Total: 512 km
No segundo dia da prova, será realizada a parte inicial da Etapa Maratona, batizada de Renê Melo – piloto de carro falecido em maio deste ano que participou diversas vezes do Sertões. Sem poder contar com qualquer auxílio das equipes de apoio, os competidores encaram a especial de 350 km que promete estar entre as mais duras e completas da edição 2020. O trecho começa rápido, com mata-burros e pontes (em algumas delas haverá radar). Ao chegarem em uma fazenda particular, haverá uma subida de serra em trial, na qual será preciso muita atenção. No alto, diante de um visual incrível, os competidores seguem pelo topo da serra, marcado por lajes de pedra. Saindo da fazenda, as velocidades serão maiores em uma estrada rápida, de pilotagem prazerosa, mas com algum fesh fesh. Haverá travessia por um rio até atingirem uma pista travada e estreita. Nos últimos 50 km da especial, a velocidade volta a subir até chegarem na zona de radar, terminando dentro do parque de apoio.

3/11/2020 – terça-feira
3ª etapa – Bolha 2 / GO a Bolha 3 / GO – 2ª parte Maratona “Paulo Gonçalves”

Deslocamento inicial: 0 km
Trecho especial: 200 km
Deslocamento final: 169 km
Total: 369 km
Na segunda parte da Etapa Maratona, o homenageado será o piloto português de motocicleta Paulo Gonçalves, que faleceu após um acidente no Rally Dakar 2020. O dia promete ser bem completo, mesclando velocidades altas, médias e baixas. Apesar dos 10 km iniciais bem velozes, a especial logo entra em uma dura subida de serra, com muitas pedras, depressões, pontos sem visão e trechos sinuosos com abismos dos dois lados. Após muito sobe e desce, na metade da especial, por volta do km 100, haverá uma longa descida. O piso terá fesh fesh e exige cautela nas ultrapassagens. Os competidores passarão por dois grandes rios com pedras e vão encarar uma serra íngreme no final, por região não povoada e solo com muitas pedras e cascalhos. 

4/11/2020 – quarta-feira
4ª etapa – Bolha 3 / GO a Bolha 4 / TO

Deslocamento inicial: 26 km
Trecho especial: 329 km
Deslocamento final: 295 km
Total: 650 km
O dia começa muito rápido, no estilo das especiais no Campeonato Mundial de Rally (WRC), e fica mais lento quando entra em um trecho com mata-burros, pedras e pontes – em algumas delas haverá radar. O grande desafio será o trecho de 60 km de areia, no qual a navegação será exigida ao máximo. Após o abastecimento, os competidores enfrentarão caminho travado e pontos de trial, em terreno característico de cerrado. Nos últimos 60 km, curvas de altas velocidades e chão com piçarra. 

5/11/2020 – quinta-feira
5ª etapa – Bolha 4 / TO a Bolha 5 / MA
Deslocamento inicial: 99 km
Trecho especial: 227 km
Deslocamento final: 284 km
Total: 610 km
Apesar dos km iniciais travados, a especial imprime altas velocidades em um trecho de areia, ao lado de uma plantação de eucaliptos. O terreno arenoso fica bem mais pesado até a metade do trajeto, quando assume as características do Jalapão, no Tocantins. Os competidores encerram a especial em terreno de piçarra, onde poderão atingir altas velocidades e sentir o prazer da pilotagem. 
  
6/11/2020 – sexta-feira
6ª etapa – Bolha 5 / MA a Bolha 6 / MA
Deslocamento inicial: 128 km
Trecho especial: 300 km
Deslocamento final: 313 km
Total: 741 km
A especial já começa com belas paisagens, por estradas de médias velocidades que vão ficando cada vez mais estreitas e travadas. A partir da metade, o trajeto fica mais rápido, com lombas e depressões. Haverá dois trechos com retas muito longas, de altíssimas velocidades, em terreno de piçarra. No final, será preciso mais atenção para completar a especial em trechos arenosos. 

7/11/2020 – sábado
7ª etapa – Bolha 6 / MA a Barreirinhas (MA)
Deslocamento inicial: 258 km
Trecho especial: 223 km
Deslocamento final: 34 km
Total: 515 km
A organização do Sertões promete deixar a melhor especial para o final. Com prova na areia, a navegação fará toda a diferença. Após um começo travado em piçarras, o trecho fica arenoso à medida que cruza pequenos riachos, os quais estarão secos na época da prova. Após o abastecimento, praticamente na metade da especial, as dificuldades serão extremas por conta da areia e da parte final com navegação por GPS em dunas. Com muitos way points a serem cobertos, qualquer erro pode ser fatal. O final em Barreirinhas promete ser apoteótico, a imagem a ser gravada nas memórias dos participantes. Chegar ao final do Sertões 2020 já será uma grande vitória. 

Total percurso: 4.567 km 
Total de trechos cronometrados (Especiais): 1.842 km

Informações para imprensa
MSuzuki Comunicação
Mércia Suzuki – cel. 11 99705-7720
mercia.suzuki11@gmail.comwww.msuzukicom.com.br

Deixe um Comentário

Pronto para a diversão?

Entre em contato conosco e solicite um orçamento.

Close

WhatsApp chat